2012: retrospectiva / retrospective

Clube Internacional de Brasília2012---coletiva-do-clube-internacional-de-brasilia_36962589921_o.jpg

Legião da Boa Vontade (DF)mai2012---coletiva-janela-das-emoes-lbv-df-1_36915666106_o.jpgmai2012---coletiva-janela-das-emoes-lbv-df-2_36933707472_o.jpg

Administração do Lago Sul (DF)

2012---coletiva-do-52-aniversrio-da-ra-lago-sul-df-2_36932990532_o.jpg

2012-coletiva-do-52-aniversrio-da-ra-lago-sul-df-1_36707198760_o.jpg

Câmara Federal dos Deputados (DF)

ago2012---coletiva-janela-das-emoes-cmara-federal-1_36962019201_o.jpg

ago2012---coletiva-janela-das-emoes-cmara-federal-2_36962028661_o.jpg

Advertisements

noite de abertura: JANELA DAS EMOÇÕES

Segue um resumo do coquetel de abertura da nossa exposição coletiva de pinturas – aberta ao público até o dia 28 próximo, no Anexo IV da Câmara dos Deputados -, na forma de uma colagem de fotos: algumas tiradas por mim, outras gentilmente cedidas por Carmen Fraga, nobre colega expositora =)

A vernissage foi um sucesso e o espaço, incrível.

ago2012-coletiva-janela-das-emoes-cmara-federal-2_36962028661_o

ago2012-coletiva-janela-das-emoes-cmara-federal-1_36962019201_o

Em anexo, transcrição de RELEASE redigido por mim – com adaptações -, publicado na mídia e no painel de entrada da exposição da Câmara:

UMA JANELA PARA A ARTE

Na arte estão […] visceralmente unidos os dois aspectos […]: o seu lado techné – do­mínio consciente e intencional de meios com o objetivo explícito de atingir um fim pré-determinado – e ao seu lado “magia” – impulso de reconciliação com uma totalidade, experienciada como radicalmente cindida. (DUARTE, Rodrigo A. P., Arte e Modernidade. Psicol. Cienc. Prof., Brasília, v. 14, n. 1-3, 1994. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98931994000100003&lng=pt&nrm=iso. Acessos em 10 abr. 2012)

Os participantes desta mostra são pessoas de diferentes formações, embora tendo um ponto em comum: a ARTE. São diferentes talentos provenientes de diferentes lugares que se encontram na coletiva “JANELA DAS EMOÇÕES”.

Este grupo de artistas participantes vem trilhando, com sua experiência já acumulada, um caminho sólido e promissor através da utilização de diversos materiais, técnicas múltiplas e texturas diversificadas, variando entre o rigor acadêmico e o traço solto, mesclando o clássico e o contemporâneo.

Nestas “janelas” aparentemente tão distintas, sua proposta resulta, no entanto, no supremo objetivo do evento que os une: o amor à expressão artística. Paixão que, por sua vez, promove a integração entre a emoção da criação artística e a visão – ou, talvez, revisão – filosófica do mundo que nos cerca. Portanto, aqui, diferentes visões de mundo convergem em um ponto comum: o aparente parado­xo do emprego “racional” das técnicas artísticas que leva à “magia” (tal como na citação acima) da reflexão e consequente reconciliação com o mundo e o Universo.

Mostra coletiva de arte em comemoração do aniversário do Lago Sul (DF)

LINK PARA O CONVITE NO FACEBOOK

Dia 16 de agosto próximo, a XVIª Região Administrativa estará celebrando o aniversário do Lago Sul com uma série de eventos, que incluem uma grande exposição exclusivamente com artistas dessa região, tanto escultores quanto pintores.

CURADORA
Flávia Isa Obino Boeckel (perfil Facebook)

PORTAL
ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DO LAGO SUL

Até o presente momento, em torno de 54 artistas confirmaram participação na mostra:

Adriana Alves, Ambrosina Coradi, Angélica Bittencourt, Antonia Celia, Carmen Fraga, Cecile Martins, Celia Maldonado, Chico Metamorfose, Cristina Portella, Dilza Araújo, Diniz Felix, Dulce D´Assunção, Dulce Schunck, Elca Cascão, Eunice Monteiro, Eusanete Sant´Anna, Fernando Janot, Flávia Cortopassi, F. Caravellas, G. Sardin, Gildred Nascimento, Helvécia Moura, Huet Azevedo, Inez Campos, Iracema Brochado, Irany Poubel, Ivan Batista, Jeanne Maz, Lêda Watson, Lelo, Lia Zveiter, Liane Lopes, Linda Khodr, Lourdes Denicol, Lucilia Feu, Lucymar Melo, Marcia Mazzoni, Marcia Rosa, Marcos França, Mari Lasta, Mª Alice Prata, Marinêz Coral, Marlene Godoy, Moren, Nair Andrade, Nancy Safatle, Pat Bagniewski, Paulino Aversa, Ricardo Stumm, Sanagê, Solange Bogéa, Sy Fiori, Tania Dassow Dias, Theresa Neves, Vivianne Rocha

MAIS DETALHES SERÃO CONFIRMADOS. FIQUE LIGADO(A)!

#Coletiva de #arte #aniversário 52 anos do #lagosul

Uma publicação compartilhada por Iracema (@immb95) em

//platform.instagram.com/en_US/embeds.js

2012-coletiva-do-52-aniversrio-da-ra-lago-sul-df-2_36932990532_o

evento: coletiva JANELA DAS EMOÇÕES, em agosto

ARTISTAS PARTICIPANTES (ordem alfabética):

Beatriz Cavalcante
Carmen Fraga
Iracema Brochado
Raquel Schmitt
Renata Prata
Solange Lannes

(LINK PARA O EVENTO, NO FACEBOOK)

ago2012-coletiva-janela-das-emoes-cmara-federal-1_36962019201_o1

Em anexo, transcrição de RELEASE redigido por mim – com adaptações -, publicado na mídia e no painel de entrada da exposição da Câmara:

UMA JANELA PARA A ARTE

Na arte estão […] visceralmente unidos os dois aspectos […]: o seu lado techné – do­mínio consciente e intencional de meios com o objetivo explícito de atingir um fim pré-determinado – e ao seu lado “magia” – impulso de reconciliação com uma totalidade, experienciada como radicalmente cindida. (DUARTE, Rodrigo A. P., Arte e Modernidade. Psicol. Cienc. Prof., Brasília, v. 14, n. 1-3, 1994. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98931994000100003&lng=pt&nrm=iso. Acessos em 10 abr. 2012)

Os participantes desta mostra são pessoas de diferentes formações, embora tendo um ponto em comum: a ARTE. São diferentes talentos provenientes de diferentes lugares que se encontram na coletiva “JANELA DAS EMOÇÕES”.

Este grupo de artistas participantes vem trilhando, com sua experiência já acumulada, um caminho sólido e promissor através da utilização de diversos materiais, técnicas múltiplas e texturas diversificadas, variando entre o rigor acadêmico e o traço solto, mesclando o clássico e o contemporâneo.

Nestas “janelas” aparentemente tão distintas, sua proposta resulta, no entanto, no supremo objetivo do evento que os une: o amor à expressão artística. Paixão que, por sua vez, promove a integração entre a emoção da criação artística e a visão – ou, talvez, revisão – filosófica do mundo que nos cerca. Portanto, aqui, diferentes visões de mundo convergem em um ponto comum: o aparente parado­xo do emprego “racional” das técnicas artísticas que leva à “magia” (tal como na citação acima) da reflexão e consequente reconciliação com o mundo e o Universo.

vernissage JANELA DAS EMOÇÕES LBV-DF: fotos

Sábado foi o dia da vernissage da expo coletiva “JANELA DAS EMOÇÕES”, na sede brasiliense da Legião da Boa Vontade.

Vai aqui um apanhado de fotos tiradas durante o evento, transcorrido em um clima festivo e tranquilo.

mai2012-coletiva-janela-das-emoes-lbv-df-2_36933707472_o

mai2012-coletiva-janela-das-emoes-lbv-df-1_36915666106_o

[UPDATE set2017] Em anexo, transcrição de RELEASE redigido por mim – com adaptações -, publicado na mídia (este texto seria posteriormente reaproveitado na edição do evento realizada na Câmara dos Deputados, em agosto daquele mesmo ano):

UMA JANELA PARA A ARTE

Na arte estão […] visceralmente unidos os dois aspectos […]: o seu lado techné – do­mínio consciente e intencional de meios com o objetivo explícito de atingir um fim pré-determinado – e ao seu lado “magia” – impulso de reconciliação com uma totalidade, experienciada como radicalmente cindida. (DUARTE, Rodrigo A. P., Arte e Modernidade. Psicol. Cienc. Prof., Brasília, v. 14, n. 1-3, 1994. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98931994000100003&lng=pt&nrm=iso. Acessos em 10 abr. 2012)

Os participantes desta mostra são pessoas de diferentes formações, embora tendo um ponto em comum: a ARTE. São diferentes talentos provenientes de diferentes lugares que se encontram na coletiva “JANELA DAS EMOÇÕES”.

Este grupo de artistas participantes vem trilhando, com sua experiência já acumulada, um caminho sólido e promissor através da utilização de diversos materiais, técnicas múltiplas e texturas diversificadas, variando entre o rigor acadêmico e o traço solto, mesclando o clássico e o contemporâneo.

Nestas “janelas” aparentemente tão distintas, sua proposta resulta, no entanto, no supremo objetivo do evento que os une: o amor à expressão artística. Paixão que, por sua vez, promove a integração entre a emoção da criação artística e a visão – ou, talvez, revisão – filosófica do mundo que nos cerca. Portanto, aqui, diferentes visões de mundo convergem em um ponto comum: o aparente parado­xo do emprego “racional” das técnicas artísticas que leva à “magia” (tal como na citação acima) da reflexão e consequente reconciliação com o mundo e o Universo.

Rembrandt: an Art review

Opening this blog, I here re-publish a review originally posted on an old blog, now deactivated.

A Memorable Experience in Arts

Recently, in the year of 2002, the citizens of Brasilia (Brazil’s capital) had the opportunity to see, for the very first time in Brazil, an exhibition of Rembrandt Van Rijn’s etchings which compiled 83 works in total, of the Dutch-born artist (1603-1669).

The exhibition, entitled Rembrandt and The Art of Engraving (‘Rembrandt e A Arte da Gravura’) and performed at the Centro Cultural Banco do Brasil in Brasilia and also São Paulo, Rio de Janeiro and Recife, was organised by the Netherlands’ Rembrandt House Museum (established in Amsterdam) and gave Brazilian public a unique experience to look at a careful selection of the artist’s most significant works in terms of etching techniques. Although being remembered mainly by his paintings nowadays, Rembrandt was also one of the greatest engravers of his time – a time when Engraving, as a form of art, was as much valued as Painting.

The etching selection demonstrated how Rembrandt did innovate the techniques of such craft, by emphasizing the use of pictorial effects more that line drawing itself, on his engravings. The exhibition included a vast aspect of the subjects striven by the artist, from landscapes and allegories to portraits and nudes.

The exhibition has also shown Rembrandt’s influence on other artists both from his time and from recent times. Alongside to his own selection, an additional show has compiled 40 works collected from several influenced artists like Picasso, among others.

To sum up, this event should be considered as one of the most remarkable Art happenings of the year of 2002, in my memories. It surely has brought, not only for me but for every spectator, an immensely vivid experience of gazing at a compilation of Rembrandt’s true innovative geniality in the art of Etching and Engraving, which remains as one of the major references in Art History, of all times.

copyright © 2005, Iracema Brochado