panorama… atual

Desde que ouvi esta música pela 1ª vez em plena Rádio Mundial, esta canção do Erasmo Carlos nunca perdeu sua atualidade; pelo contrário, é daquele tipo de obra dotada da estranha e significativa propriedade de ficar cada vez mais atual, á medida que os anos passam.

Juntamente com Mercy Mercy Me (The Ecology), de Marvin Gaye, esta canção aborda o problema do desequilíbrio ecológico – e sua consequente queda na qualidade de vida -, em uma época que tais preocupações ocorriam de forma um tanto vaga em cabeças pensantes, como uma espécie de louca utopia pessimista.

Sobre a canção de Erasmo, de tão boa e atual, sua letra pode ser analisada por si mesma sem a necessidade da melodia, apreciada como um poema – com sua ironia sutil em antepor a (eterna) busca de “perfeição” do gênero humano à crescente degradação ambiental – e, por extensão, da qualidade de vida de todas as coisas vivas – em volta:

Lá vem a temporada de flores
Trazendo begônias aflitas
Petúnias cansadas
Rosas malditas
Prímulas despetaladas
Margaridas sem miolo
Sempre-vivas quase mortas
E cravinas tortas
Odoratas com defeitos
E homens perfeitos

Lá vem a temporada de pássaros
Trazendo águias rasteiras
Graúnas malvadas
Pombas guerreiras
Canários pelados
Andorinhas de rapina
Sanhaços morgados
E pardais viciados
Curiós desafinados
E homens imaculados

Lá vem a temporada de peixes
Trazendo garoupas suadas
Piranhas dormentes
Sardinhas inchadas
Trutas desiludidas
Tainhas abrutalhadas
Baleias entupidas
E lagostas afogadas
Barracudas deprimentes
E homens inteligentes.

Por fim, a canção de Marvin Gaye, com a respectiva letra.

Topo Gigio e a fama

Pois é: até Topo Gigio apareceu no aclamado programa de TV norte-americano The Ed Sullivan Show. Qualquer pessoa minimamente informada sabe o que significava uma aparição, ainda que rápida, nesse programa: fama certa (o que, nos EUA, equivale a ganhar na loteria; não é como no Brasil), ou, no mínimo, um ponto prestigioso no currículo.

(E por acaso alguém do staff do jornal O Pasquim chegou a tanto, algum dia? Nem em sonhos…)

Mensagem de Festas

Sendo esta a última semana de aula do ano, haverá o recesso de Festas, reiniciando as aulas em janeiro (não  sendo o fim do semestre porém, o qual terminará lá por fins de fevereiro ou começo de março – a universidade esteve de greve há alguns meses, lembram-se? rssss).

Portanto, vamos “recarregar as baterias” para o ano que chega!

BOAS FESTAS a todos, que as mesmas transcorram alegre e tranquilamente – pois isso é o que importa, certo? -, e que o ano que se aproxima seja auspicioso. Não, não penso em “fim do mundo”: isso não é mais do que estado de espírito para alguns, e isso não compartilho.

Até mais! 😀

#natal #festas #me #instagramers #instacard #ecard #mensagem

==========
Protected by Copyscape Duplicate Content Finder

arte no dia-a-dia do campus

Na 2ª feira última dei uma entrevistinha (como “passante”) para uma reportagem que, vim a saber depois, trata sobre um evento artístico que rola no Minhocão até dezembro, como parte das comemorações do cinquentenário da UnB: a Exposição Cara-metade. O vídeo – o de nº 2 – foi postado ontem.

A reportagem – realizada pela equipe de reportagem da UnB TV, com respectivo canal no Youtube -, colhe impressões dos alunos da universidade sobre esta multifacetada exposição de (duplos) retratos, a qual estreou no dia 22 de outubro (pouco antes do começo do semestre letivo) e se estenderá até dezembro, evento este simultaneamente abrindo a edição anual do FLAAC (Festival Latino Americano e Africano de Arte e Cultura) e integrando as comemorações do jubileu da Universidade de Brasília.

No vídeo, apareço com uma modesta contribuição às declarações colhidas, comentando o aspecto da integração entre manifestações artísticas ao cotidiano das pessoas – com base nos conhecimentos adquiridos ao longo de anos de experiência, tanto como artista plástica como do estudo durante a Especialização em Artes Visuais, cursada há uns 2 anos, pelo SENAC-DF (link para o meu TCC, aqui).

Espero que gostem – como senti-me feliz em contribuir a algo que, enfim, tem afinidade com minhas próprias áreas de interesse. Mesmo com um minutinho apenas, foi gratificante de verdade. Valeu 🙂

VÍDEO 1: reportagem sobre o lançamento do evento, a título de introdução.

VÍDEO 2: a reportagem da UnB TV onde apareço.

Protected by Copyscape Duplicate Content Finder

leituras (i.e. estudo)

Algumas leituras das matérias que estou cursando no semestre – na forma de livro, enquanto outras estão na forma de textos xerocados já comecei a adiantar, se bem que a segunda forma é empregada apenas como último recurso, em um esforço para economizar grana! Quanto ao resto, a biblioteca ajuda. Por sorte, já tenho alguns dos livros, comprados há vários anos aos poucos, em um esforço para montar uma biblioteca filosófica minimamente aceitável.

Este semestre consistirá em uma viagem em voo de pássaro sobre os diferentes sistemas e tradições filosóficos, o papel do saber histórico-filosófico e uma análise estrutural das produções filosóficas, além de uma assimilação das noções de Lógica tal como utilizada no campo da Filosofia.

UPDATE 05/11: em um esforço para obter fontes de credibilidade, foi-me recomendado hoje este excelente blog, “Não Gosto de Plágio”. Vale a pena tê-lo à mão, como ferramenta defensiva, a começar por esta postagem que enumera (ANTI)referências bibliográficas. (e mais esta!) Vale a pena também acompanhar outro blog, Livros e Afins, com respectivas páginas Facebook e Google+ (ver links no próprio blog).

Quem tem fôlego para escrever esse tanto, em um quadro-negro / Who has taken breath to write this much on a blackboard ????? 😵📝📚📖 #earlymorning

no jeito!

Já estou matriculada nas matérias deste semestre.

O coordenador do curso, com quem conversei hoje de manhã, até desaconselhou matérias em demasia, considerando que uma das em que me matriculei – pré-requisito de VÁRIAS do meu curso – será particularmente puxada, com muitas leituras a fazer etc.

De resto, com o que já tenho de créditos aproveitados (fora os que ainda estão por aproveitar da graduação anterior, cursada em outra IES) e na condição de “caloura” (mas nem tanto), não havia grande coisa a acrescentar.

E assim vou levando.

Assunto resolvido! #fisheye

==========
embaPub=’be767243ca8f574c740fb4c26cc6dceb’;embaStyle=’counter’;

preparativos para o semestre

Hoje, nos preparativos para a matrícula nas disciplinas do meu curso para o próximo semestre – que será o meu primeiro -, ao acessar o site, constatei já haver obtido 44 dos 148 créditos exigidos.

Isto, por haver aproveitado matérias anteriormente cursadas na Universidade, há muitos anos… Sendo que duas das disciplinas já cursadas são OBRIGATÓRIAS no meu curso atual: resquícios de um interesse pela área de Filosofia que já havia começado a delinear-se à época, agora devidamente aproveitados.

É o tal negócio: alguma coisa sempre se aproveita.

(Abaixo, foto da minha visita à exposição do pintor barroco italiano Caravaggio. Não foi permitido aos visitantes, porém, filmar ou fotografar as obras – por motivos de direitos autorais; e cada grupo de visitantes só podia visualizar a exposição por apenas 10 minutos. Mas foi bom por representar uma rara, talvez única, oportunidade de se ver a versão da Medusa Murtula, de propriedade particular, por mim considerada o ponto forte das 6 obras ali expostas)

@ the Caravaggio #exhibit

==========
embaPub=’be767243ca8f574c740fb4c26cc6dceb’;embaStyle=’counter’;